Engenharia de Produção Mater Dei apresenta 22 Estudos de Caso, em sua 2ª Semana Científica

27/11/2017



Vinte e dois banners expuseram os conhecimentos adquiridos e partilhados pelos acadêmicos do 8º período de Engenharia de Produção da Faculdade Mater Dei, na semana de 13 a 18 de novembro, no espaço de convivência Café Mater Dei. Trata-se dos trabalhos da segunda etapa de Estágio obrigatório do curso. Em 2018, no 9º período, eles realizarão a última etapa de Estágio e escreverão o Trabalho Final de Graduação (TFG 1). 

Os acadêmicos de Engenharia de Produção da Mater Dei tem como características o alto índice de empregabilidade na indústria, sendo que ao longo de 2017, vários deles foram promovidos ou assumiram novos cargos, segundo percebe o coordenador do curso, Robson Luiz Montanari, que é também o professor orientador dos Estágios. Segundo Montanari, o salário inicial do Engenheiro de Produção gira em torno de R$ 6 a R$ 7 mil.


Estudos de Caso

O acadêmico Adenilso Paulinho da Cruz, por exemplo, fez seu estágio com foco nos processos produtivos discretos e contínuos da Parati, futura Kellogs, na qual trabalha há 16 anos como operador de máquina. Seu foco de estágio foi o setor de cereais na linha. Ele averiguou como são os processos, os métodos implantados sobre cada processo, desenvolvendo seu Estudo de Caso. Adenilso disse ter verificado que estão de acordo a parte teórica aprendida na faculdade com o que é feito no meio produtivo. Sua conclusão é que os processos andam alinhados uns com os outros. 


Diego Armando Zanatta também é operador de máquinas na Parati há sete anos e em seu estudo de caso, procurou medir a eficiência e a eficácia de uma linha de produção, a qual verificou quanto ela produz e o quanto é possível ser produzido. A partir disto, mediu a eficiência e eficácia da qualidade produzida para mensurar o quanto é utilizado, da capacidade instalada, que é de 24 horas por dia, mas sem utilizar neste período integral do dia. "Tem 95% de aproveitamento para um horário, mas trabalhamos em três horários", apontou.


Já o acadêmico Christian Luan da Costa fez seu estudo de caso na Vibra Agroindustrial, voltado para a gestão de desenvolvimento de produto. Na empresa, em que trabalha há um ano, desempenha funções na área de Logística. Ele verificou como eram os processos, os custos para se criar um produto, elaborar a embalagem e tudo o mais que envolvem investimentos da parte da indústria para ter um novo produto no mercado. Ele notou que a criação de novos produtos vem tanto da demanda do próprio mercado, como a pedido do cliente, assim como aqueles criados pela indústria para provocar a necessidade no cliente. Christian teve a oportunidade de levar o estudo para os setores de gestão da indústria, que agora poderá implementar o que achar conveniente, no apontado teoricamente por ele.


Continuidade das pesquisas

A primeira Semana Científica, por sua vez, ocorreu em junho de 2017. A análise de gestão e a estratégica organizacional foram focos dos acadêmicos do então 7º período de Engenharia de Produção durante todo o primeiro semestre de 2017. De fevereiro até o final de junho, eles estiveram realizando um cronograma nas empresas que aceitaram o seu estágio, compartilhando com estas organizações 100h/a que geraram relatórios e muitas trocas de experiências. De 12 a 14 de junho, eles expuseram 21 painéis com os resumos de seus estágios. 




Assessoria de Comunicação Grupo Mater Dei

Texto: Daiana Pasquim - Jornalista DRT/PR 5613

Foto: Lucas Piaceski

Agência PQPK